Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Mateus Alves e Renan Dal Zotto são os melhores técnicos do Prêmio Brasil Olímpico

Geral

29/11/2019 17h45

Prêmio Brasil Olímpico

Mateus Alves e Renan Dal Zotto são os melhores técnicos do Prêmio Brasil Olímpico

Treinador-chefe do boxe e comandante da seleção masculina de vôlei serão homenageados no dia 10 de dezembro, no Rio de Janeiro

Mateus Alves, treinador-chefe da seleção de boxe que fez campanha histórica em Lima e conquistou duas medalhas em Mundiais (ouro com Bia Ferreira e bronze com Hebert Conceição), e Renan Dal Zotto, comandante da seleção masculina de vôlei, campeã da Copa do Mundo, serão os treinadores homenageados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) no Prêmio Brasil Olímpico 2019. A cerimônia de gala do esporte brasileiro será realizada no próximo dia 10 de dezembro, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

Nos esportes coletivos, Renan Dal Zotto voltará ao palco do PBO para receber o prêmio pela segunda vez consecutiva. Se em 2018 a principal conquista foi o vice-campeonato da Liga Mundial, em 2019, terceiro ano de Renan à frente da seleção masculina, veio o título da Copa do Mundo depois de 11 vitórias em 11 jogos. De quebra, o time de Dal Zotto faturou o 32º título do Campeonato Sul-americano. O maior objetivo do ano, porém, foi a classificação para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 passando pelo Pré-olímpico, em Varna, na Bulgária, vencendo os donos da casa no jogo decisivo.

Mateus e Renan: resultados expressivos na temporada 2019. Fotos: COB

"Sem dúvida é motivo de muito orgulho receber este que é considerado o prêmio mais importante do esporte brasileiro. Essa premiação me deixa extremamente honrado, principalmente pelos grandes técnicos que temos no Brasil. Quero deixar claro que essa não é uma premiação individual. Estarei ali representando todos os integrantes da comissão técnica da nossa seleção", afirmou Renan.

"Além disso é fundamental agradecer a todos os jogadores que passaram pelo grupo neste ano. Cada um tem sua parcela neste prêmio. E agradeço, claro, pelo apoio incondicional da minha família. Estou muito feliz e grato por tudo que vivemos esse ano e terminar com essa premiação é muito especial", complementou Renan", disse Dal Zotto, que além de manter a equipe entre as melhores do mundo, vem conduzindo uma importante renovação da equipe. Na Copa do Mundo, por exemplo, o oposto Alan, de 25 anos, foi eleito o melhor jogador da competição.

Nos esportes individuais, o COB vai homenagear o líder de uma equipe que em 2019 realizou grandes feitos. Tendo Mateus Alves à frente, a equipe olímpica de boxe conquistou seis medalhas em Lima, a melhor campanha em 56 anos, sendo uma de ouro, três de prata e duas de bronze. De quebra, houve a conquista do primeiro ouro do boxe feminino. A campanha ainda encerrou um jejum de 12 anos sem medalhas título nos Jogos Pan-americanos.

Além disso, Mateus conquistou como técnico duas medalhas em Mundiais: ouro orientando Bia Ferreira e bronze com Hebert Conceição. Ainda sob a liderança de Mateus, o Brasil foi campeão por equipes pela primeira vez em uma etapa Europeia do Grand Prix, realizado na República Tcheca; conquistou o primeiro ouro na tradicional Copa São Petersburgo e no Torneio Strandja, na Bulgária, o evento mais antigo do boxe mundial.

"Estou muito feliz e principalmente muito lisonjeado de estar recebendo essa premiação. É fruto de muita disciplina, planejamento e dedicação em busca dos resultados positivos em uma parceria de toda a equipe de atletas, técnicos multidisciplinares, Confederação Brasileira de Boxe e Comitê Olímpico do Brasil", disse Mateus, de 38 anos, que dá aulas de boxe desde 2002.

Melhores atletas

Além de homenagear os melhores técnicos do ano, o Prêmio Brasil Olímpico ainda vai premiar outras categorias. Concorrem ao troféu de Melhor Atleta do Ano: Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Beatriz Ferreira (boxe) e Nathalie Moellhausen (esgrima), no feminino; e Arthur Nory (ginástica), Gabriel Medina (surfe) e Isaquias Queiroz (canoagem velocidade), no masculino. A escolha dos dois atletas que receberão o Troféu Melhor Atleta do Ano foi realizada por um por um colégio eleitoral formado por jornalistas, dirigentes, Comissão de Atletas do COB, ex-atletas e personalidades do esporte.

Ana Marcela Cunha (maratonas aquáticas), Ana Sátila (canoagem slalom), Bruno Rezende (vôlei), Flávia Saraiva (ginástica Artística), Hugo Calderano (tênis de mesa), Ítalo Ferreira (surfe), Mayra Aguiar (judô), Nathalie Moellhausen (esgrima), Paulo André (atletismo) e Pedro Barros (skate) são os candidatos a Atleta da Torcida. A votação está aberta e pode ser feita através do link: pbo.cob.org.br.

Oscar Schmidt receberá o Troféu Adhemar Ferreira da Silva por valores como dedicação, eficiência e espírito coletivo que representou durante toda a carreira. E serão homenageados todos os medalhistas dos Jogos Pan-americanos Lima 2019; além dos Melhores Atletas nos Jogos Escolares da Juventude.

Hall da Fama

O Prêmio Brasil Olímpico deste ano também homenageará mais seis ídolos do esporte nacional com a inclusão de seus nomes no Hall da Fama do COB: Joaquim Cruz, campeão olímpico dos 800m em Los Angeles 1984 e prata em Seul 1988; Magic Paula, campeã mundial de basquete em 1994 e prata nos Jogos Olímpicos Atlanta 1996; e os já falecidos Guilherme Paraense, atirador, primeiro campeão olímpico do país na história dos Jogos Olímpicos, em Antuérpia 1920; João do Pulo, bronze olímpico no salto triplo em Montreal 1976 e Moscou 1980; Maria Lenk, nadadora, primeira mulher sul-americana a disputar os Jogos Olímpicos, em Los Angeles 1932; e Sylvio Magalhães Padilha, primeiro sul-americano a disputar uma final olímpica no atletismo, nos 400m com barreiras, em Berlim 1936. Idealizado em 2018, o Hall da Fama do COB pretende eternizar os atletas e treinadores que ajudaram a construir a história olímpica do país, promovendo o Olimpismo e inspirando novas gerações.

Fonte: Comitê Olímpico do Brasil