Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Brasil fecha GP de Portugal de judô com duas pratas e um bronze

Judô

31/01/2023 15h04

Judô

Brasil fecha GP de Portugal de judô com duas pratas e um bronze

Rafaela Silva (57kg) e Gabriella Mantena (63kg) chegaram à final, e Rafael Silva foi terceiro colocado

O Brasil encerrou a participação no Grand Prix de Judô de Portugal com duas pratas e um bronze. No último dia de competições, o experiente Rafael Silva “Baby” faturou a medalha de bronze em duelo com o compatriota João Cesarino pelo terceiro lugar no pesado masculino.

Com as pratas de Rafaela Silva (57kg) e Gabriella Mantena (63kg) conquistadas na sexta e no sábado, respectivamente, o judô brasileiro conclui a primeira competição do ano com três pódios e um começo de temporada promissor.

Foto: Gabriela Sabau/IJF

Parte da delegação continuará em Portugal participando de treinamento de campo nos próximos dias. No final de semana seguinte, o Brasil volta ao tatame para a disputa do tradicional Grand Slam de Paris, nos dias 04 e 05 de fevereiro.

O bronze em Portugal tem gostinho especial para Rafael Silva após um 2022 difícil em que ficou fora do pódio no Mundial de Tashkent e no World Masters de Jerusalém. Voltar a figurar entre os melhores de sua categoria com vitórias sobre europeus e asiáticos, certamente, trará confiança para o brasileiro buscar mais resultados nessa temporada. Seu último pódio foi a prata no Pan-Americano em abril de 2022. Aos 35 anos, Baby busca sua quarta participação em Jogos Olímpicos.

"Estou feliz de começar o ano com medalha. Acredito que tenho bastante a contribuir ainda e a aprender. A temporada só está começando, mas é preciso acelerar, porque o Mundial este ano é mais cedo, em maio. Enfim, (estou) focado, aprendendo e apreciando o caminho", resumiu Baby.

Mantena

A jovem Gabriella Mantena, de 22 anos, foi um dos destaques da delegação. Conquistou a prata na categoria meio-médio feminina (63kg) depois de vencer cinco lutas nas preliminares. Ela só parou na portuguesa Barbara Timo na final.

“Foi uma prata com gostinho de ouro. Nesta competição me senti muito bem do início ao fim. Estava “leve” e foi uma competição onde fiz ótimas lutas. Consegui pontuar em 4 das 6 lutas. É a minha primeira medalha no circuito mundial sênior e espero que esse seja só o início de muitas”, resumiu Mantena.

Fonte: Confederação Brasileira de Judô