Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Calderano vence final brasileira e conquista o tri da Copa Pan-Americana

Atletismo

09/02/2020 23h06

Tênis de Mesa

Calderano vence final brasileira e conquista o tri da Copa Pan-Americana

Sétimo do mundo, mesatenista de 23 anos supera Gustavo Tsuboi por 4 sets a 1 e mantém sequência de títulos continentais

Sétimo colocado do ranking mundial, Hugo Calderano venceu na noite deste domingo (9.02) o compatriota Gustavo Tsuboi (40º) por 4 sets a 1 (11/3, 11/5, 11/13, 11/3 e 11/6) e conquistou o tricampeonato da Copa Pan-Americana de tênis de mesa, em Guaynabo, Porto Rico. Os dois finalistas garantiram vaga na Copa do Mundo individual deste ano, em outubro, na Alemanha.

"É uma sensação incrível. Acho que joguei muito bem aqui. Todos os jogos foram difíceis, então joguei no meu melhor nível. Estou feliz por sair mais uma vez com o título", afirmou Hugo, que destacou ainda sua evolução jogo a jogo. "Foi um torneio duro. Acho que a cada partida fui melhorando. É normal, muitas vezes jogamos melhor na final do que na primeira rodada. Nunca é fácil jogar contra um companheiro de equipe, porque nos conhecemos muito. Conhecemos o saque, a recepção. Sabia que seria uma partida difícil".

Calderano chegou a 49 jogos de invencibilidade em torneios individuais no continente americano. Foto: Abelardo Mendes Jr./ rededoesporte.gov.br

Hugo chegou a oito títulos seguidos em competições continentais individuais: além do tri da Copa Pan-Americana, ele também foi bi nos Jogos Pan-Americanos (2015 e 2019) e campeão da Copa Latino-Americana (2016) e dos Campeonatos Latino (2016) e Pan-Americano (2017). São 39 jogos de invencibilidade em torneios individuais no continente. 

"É uma sensação incrível. Acho que joguei muito bem aqui. Todos os jogos foram difíceis, então joguei no meu melhor nível. Estou feliz por sair mais uma vez com o título"
Hugo Calderano

A conquista em Porto Rico garantiu a Hugo os 1.800 pontos que defendia pelo título do ano passado, fundamentais na corrida por um melhor chaveamento nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O carioca garantiu a vaga com a medalha de ouro individual nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no ano passado.

Antes da decisão brasileira, Hugo deixou pelo caminho, na sequência, o canadense Jeremy Hazin (146º) - 4 a 2 (8/11, 11/3, 5/11, 11/7, 11/0, 11/8) -, o argentino Horacio Cifuentes (66º) - 4 a 1 (5/11, 11/5, 11/3, 11/7, 11/7) e o paraguaio Marcelo Aguirre (63º) - 4 a 1 (11/9, 11/9, 8/11, 11/5, 11/6).

"Foi ótimo assistir a uma final brasileira. Parabéns para o Gustavo também. Analisando o desempenho do Hugo, preciso dizer que estou feliz em ver ele com essa saúde. Dizer que estou, mais uma vez, impressionado de ver como ele achou o ritmo depois de ter parado um mês por lesão muscular. O Hugo tem uma força mental especial, mas posso avaliar também que esse intervalo forçado o ajudou bastante, pois ele evoluiu tecnicamente", disse Jean-René Mounié, técnico de Calderano e consultor técnico da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa.

Além de Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano, o Brasil teve duas representantes na chave feminina do torneio em Porto Rico. Jessica Yamada foi eliminada na estreia, diante da atual campeã dos Jogos Pan-Americanos e Top 20 mundial Adriana Diaz, de Porto Rico. Bruna Takahashi, 45ª do mundo, venceu na estreia mas caiu nas quartas diante da canadense Mo Zhang, top 30 do mundo. 

Regularidade como marca 

O ano de 2019 foi marcado pela regularidade de Hugo, que lhe rendeu uma posição sólida entre os melhores do mundo. O brasileiro passou a maior parte da temporada em sexto lugar no ranking - ao todo, já são 16 meses seguidos no Top 10.

Com 78,7% de aproveitamento no ano, Hugo esteve recorrentemente nas fases finais do Circuito Mundial. Em oito etapas, incluindo o Grand Finals, o carioca chegou duas vezes às semifinais e quatro às quartas. Além disso, teve seu melhor desempenho em Mundiais, parando apenas diante do eventual campeão Ma Long, nas oitavas de final.

Seu resultado mais importante na temporada foram as duas medalhas de ouro - simples e duplas masculinas - conquistadas nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. O bicampeonato individual lhe garantiu vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que serão de 24 de julho a 9 de agosto deste ano.

O próximo compromisso de Calderano será pelo seu clube, o Liebherr Ochsenhausen, no próximo domingo (16), diante do Schwalbe Bergneustadt. O confronto é válido pela 19ª rodada da Bundesliga, a liga alemã de tênis de mesa.

Tsuboi chegou à final do torneio passando por um norte-americano classificado entre os 25 melhores do mundo. Foto: Abelardo Mendes Jr./ rededoesporte.gov.br

Brilho de Tsuboi

Antes de chegar à decisão contra Calderano, Gustavo Tsuboi venceu na semifinal um adversário de altíssima qualidade. O brasileiro superou o norte-americano Kanak Jha, 25º do mundo, por 4 sets a 3 (11/9, 11/6, 10/12, 4/11, 11/4, 3/11 e 11/9), devolvendo a derrota sofrida em 2019, também na semifinal.

Tsuboi começou bem na partida. Utilizando todo o poderio de seu saque, canhoto e com muito efeito, atrapalhou a recepção do norte-americano, que não conseguia encaixar seu jogo. O brasileiro venceu o primeiro set e manteve o ritmo na segunda parcial, abrindo no placar. A reação de Kanak Jha veio a partir da segunda metade do terceiro set, quando conseguiu a virada e levou a parcial. No quarto set, o norte-americano foi absoluto, empatando em 2 x 2.

A parcial seguinte foi toda de Tsuboi, enquanto no sexto set Kanak Jha reinou absoluto. A partida chegou ao set desempate e o brasileiro mostrou equilíbrio nos momentos decisivos, além de contar com a sorte em determinados lances, como numa casquinha que conseguiu para empatar o jogo em 8 x 8. No fim, Tsuboi levou a melhor, garantiu vaga na final e na Copa do Mundo, além de conquistar pontos importantes no ranking mundial, pois foi o terceiro colocado em 2019.

Investimentos

Os quatro representantes brasileiros em Porto Rico são integrantes do programa Bolsa Atleta, da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Calderano recebe a categoria Pódio, a principal. Gustavo Tsuboi e Bruna Takahashi estão na olímpica, enquanto Jéssica Yamada está na categoria Internacional.

Ao todo, a lista mais recente publicada pelo ministério contempla 256 atletas da modalidade, num investimento federal anual de R$ 3,3 milhões. São 142 atletas olímpicos e outros 114 paralímpicos. Levando em conta também a Bolsa Pódio, há outros dez atletas contemplados (nove paralímpicos), num valor total anual de R$ 1,22 milhão. No total, o aporte da Secretaria Especial do Esporte no tênis de mesa supera R$ 4,5 milhões em 12 meses. 

Fonte: Assessoria Hugo Calderano