Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Brasil conquista oito medalhas no Aberto do Chile de tênis de mesa paralímpico

Tenis de mesa paralímpico

27/01/2020 11h28

Tênis de mesa paralímpico

Brasil conquista oito medalhas no Aberto do Chile de tênis de mesa paralímpico

Os últimos dois pódios vieram no domingo (26.01), na disputa por equipes das classes 1-5 e 9-10

O Brasil encerrou sua participação no Aberto Paralímpico do Chile, primeira competição internacional da temporada 2020, com oito medalhas. O torneio, disputado em Santiago, terminou no domingo (26.01) e foi fechado com duas medalhas de prata dos brasileiros, conquistadas pelas equipes das classes 1-5 (com Ecildo Lopes, Iranildo Espíndola e o francês Nicolas Savant-Aira) e 9-10 (com Carlos Carbinatti, Lucas Carvalho e Luiz Filipe Manara). Com esses resultados, o Brasil terminou a competição com cinco medalhas de prata e três de bronze.

Ecildo Lopes: Aos 56 anos, ele sonha em disputa pela primeira vez os Jogos Paralímpicos. Foto: Alê Cabral/CPB

No grupo único das classes 1-5, Ecildo Lopes, Iranildo Espíndola e o francês Nicolas Savant-Aira venceram dois confrontos, mas acabaram derrotados por 2 a 1 no último duelo diante dos chilenos Luis Bustamante Flores, Cristian Astete e Maximiliano Ávila. No individual, Espíndola já havia conquistado a prata, enquanto Lopes tinha faturado um bronze.

A disputa no grupo único das classes 9-10 também foi bem intensa. Os espanhóis Jose Manuel Reyes e Jorge Cardona venceram todos os duelos, enquanto a equipe de Carlos Carbinatti, Lucas Carvalho e Luiz Filipe Manara e a dos chilenos Manuel Etchaveguren, Gustavo Serrano e David Poblete venceram dois jogos cada, com os brasileiros levando a melhor no confronto direto.

O potiguar Ecildo Lopes foi um dos brasileiros que comemorou o desempenho no Chile. Não só pelos dois pódios que conseguiu, mas principalmente pelas pretensões na temporada. Com 56 anos, 20 dos quais de carreira, ele quer colocar a primeira Paralimpíada no currículo em 2020.

"Os resultados foram os melhores possíveis, por ser início de temporada. E esse torneio, em especial, serviu para atingir o fator de participação dos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Fico apto a participar da seletiva, em Lasko, na Eslovênia, e também para uma vaga por convite dos organizadores. As medalhas vieram a complementar a participação", disse o veterano.

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro